12/05/2012

História do Dia das Mães!


Feliz dia das mães! Adoro essa data! Mãe é tudo na vida da gente! Além da mãe de verdade, percebi os outros tipos de mãe que encontrei na vida: amigas mães, irmãs mães, tias mães, chefes mães, pai mãe, marido mãe! Ééé... Mãe é, pra mim, é sinônimo de amor, carinho, de querer e fazer o bem, de ter cuidado com o próximo... A mãe de sangue, a mãe adotiva, a mãe escolhida. A mãe que está no céu. Para todas as mamães: FELIZES 365 DIAS!


Fiz uma breve pesquisa sobre a origem do dia das mães, e achei bem interessante:
(baseado no texto do site: http://www.portaldafamilia.org/artigos/texto026.shtml)

A mais antiga comemoração dos dias das mães é mitológica. Na Grécia antiga, a entrada da primavera era festejada em honra de Rhea, a Mãe dos Deuses.

O próximo registro está no início do século XVII, quando a Inglaterra começou a dedicar o quarto domingo da Quaresma às mães das operárias inglesas. Nesse dia, as trabalhadoras tinham folga para ficar em casa com as mães. Era chamado de "Mothering Day", fato que deu origem ao "mothering cake", um bolo para as mães que tornaria o dia ainda mais festivo. -- ADOREI! Olha as fotinhos que achei.. É um bolo ainda feito na Inglaterra, bem tradicinal, que também é chamado de "Simnel"... E também é feito na Páscoa..
(Ahh, quer receita?? Achei aqui!)

Nos Estados Unidos, as primeiras sugestões de criação de uma data para as mães foi dada em 1872 pela escritora Júlia Ward Howe, autora de "O Hino de Batalha da República". 
 Mas foi outra americana, Anna Jarvis, no Estado da Virgínia Ocidental, que iniciou a campanha para instituir o Dia das Mães. Em 1905 Ana, filha de pastores, perdeu sua mãe e entrou em grande depressão. Preocupadas com aquele sofrimento, algumas amigas tiveram a idéia de perpetuar a memória de sua mãe com uma festa. Ana quis que a festa fosse estendida a todas as mães, com um dia em que todas as crianças se lembrassem e homenageassem suas mães. A idéia era fortalecer os laços familiares e o respeito pelos pais.

Durante três anos seguidos, Anna lutou para que fosse criado o Dia das Mães. A primeira celebração oficial aconteceu em 26 de abril de 1910, quando o governador de Virgínia Ocidental, William E. Glasscock, incorporou o Dia das Mães ao calendário do Estado.
Finalmente, em 1914, o então presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson (1913-1921), estabeleceu o Dia Nacional das Mães no segundo domingo de maio. Logo, logo, mais de 40 países adotaram a data.

Anna passou praticamente toda a vida lutando para que as pessoas reconhecessem a importância das mães. Dizia que as pessoas não agradecem freqüentemente o amor que recebem de suas mães. "O amor de uma mãe é diariamente novo", afirmou. Anna morreu em 1948, aos 84 anos. Recebeu cartões comemorativos vindos do mundo todos, por anos seguidos, mas nunca chegou a ser mãe.

Durante a primeira missa das mães, Anna enviou 500 cravos brancos, escolhidos por ela, para a igreja de Grafton para serem entregues às mães. Para Anna, a brancura do cravo simbolizava pureza, fidelidade, amor, caridade e beleza. Os cravos passaram, posteriormente, a ser sinônimo da maternidade.

E NO BRASIL?
O primeiro Dia das Mães brasileiro foi promovido pela Associação Cristã de Moços de Porto Alegre, no dia 12 de maio de 1918. Em 1932, o então presidente Getúlio Vargas oficializou a data no segundo domingo de maio. 


UMA MÃE ESPECIAL...
Bom... Agora queria falar da história de uma mãe muito especial... É como inspiração para as mães de hoje, modernas, super profissionais, que trabalham muito por seus filhos!

É possível ser uma excelente profissional, inovadora, realizar seus sonhos, sem deixar de lado o papel da mãe dedicada e ajudar seus filhos a realizarem os sonhos deles também. Conheçam Marie Curie:

MARIE CURIE
Marie Skodowska Curie (1867-1934) foi uma polonesa importantíssima para a ciência, junto com seu marido, o professor de física Pierre Curie.
Ela foi a primeira mulher a ganhar um prêmio Nobel (em 1903), pelas suas descobertas sobre radioatividade. Em 1911 recebeu outro prêmio pela descoberta dos elementos Polônio e Rádio.

Marie Curie se destacou como pesquisadora numa época em que as universidades eram de domínio masculino. Foi a partir do seu trabalho que surgiu o interesse pelos fenômenos radioativos. (REALIZA!)

Tá... E que ela tem a ver com o dia das mães?? É além disso tuuuudo ela era uma super mãe, dedicada. Ela perdeu seu marido cedo e se dedicou para o trabalho e filhas, com muita garra!

Em 1935, a sua filha Irène Joliot-Curie recebeu das mãos de sua mãe o segundo Premio Nobel de química. 

“Nada na vida é para ser temido. É tudo para ser somente entendido”.

Um comentário:

  1. Ola! Adorei o teu blog por isso ja estou a seguir!! Podias visitar e aderir ao meu? bjs grandes

    ResponderExcluir